The playground

More information here

O que é uma escritura beneficiária? – Título de terra Companhia de Garantia | Título da Terra Companhia de Garantia

Simplesmente explicado, um beneficiário de ação fornece uma alternativa à vontade para transmitir a propriedade real para um beneficiário efetivo, com a morte do proprietário, quando o beneficiário será o investido proprietário. A utilização de um título de dívida beneficiário ultrapassa a necessidade de probatório, pelo menos para este activo específico, e desde que os […]

Simplesmente explicado, um beneficiário de ação fornece uma alternativa à vontade para transmitir a propriedade real para um beneficiário efetivo, com a morte do proprietário, quando o beneficiário será o investido proprietário. A utilização de um título de dívida beneficiário ultrapassa a necessidade de probatório, pelo menos para este activo específico, e desde que os requisitos estritos dos estatutos (que se encontram no CRS 15-15-401 e seguintes).) são seguidos.quais são os requisitos para uma escritura de beneficiário?

o proprietário pode transferir um interesse em bens imóveis em vigor com a morte do proprietário, executando um ato beneficiário que contém as palavras “transmite em morte” ou “transferências em morte” ou de outra forma indica que a transferência deve ser eficaz com a morte do proprietário.a escritura deve ser registada antes da morte do proprietário no escritório do funcionário e gravador do condado onde se situa a propriedade real.um título de propriedade do beneficiário pode apresentar-se substancialmente na forma prevista no §15-15-404 da CRS.Qual é o efeito de um acto beneficiário na morte do proprietário?o proprietário conserva todos os direitos de propriedade durante a sua vida.

com a morte do proprietário, o título de juros real de propriedade coletes na designado beneficiário, que leva o título sujeito a todos os veículos de transporte, encargos, atribuições, contratos, hipotecas, penhoras, e outros interesses, afetando o título para o real de propriedade, seja criado antes ou após a gravação do beneficiário do ato, ou que o proprietário foi assunto durante o dono da vida.alguns exemplos de tais interesses podem incluir qualquer contrato de venda executório, opção de compra, Locação, licença, easement, hipoteca, ato de confiança, ou outra garantia.o beneficiário do subsídio fica igualmente sujeito a qualquer interesse no bem real de que o beneficiário tenha recebido uma notificação efectiva ou construtiva.existem disposições especiais para proteger os interesses de terceiros?

sim, de várias maneiras.

Em primeiro lugar, como acima referido, o título é transmitido sujeito a todos os meios de transporte, encargos e outros assuntos acima enumerados.em segundo lugar, qualquer pessoa que possa ter interesse na propriedade real, mas que não esteja registrada no momento da morte do proprietário, pode registrar evidências ou aviso do interesse o mais tardar quatro meses após a morte do proprietário. O anúncio deve nomear a pessoa que afirma o interesse e descrever a propriedade real e a natureza do interesse afirmado.em terceiro lugar, sob reserva dos direitos de terceiros acima descritos, um comprador de boa fé, que adquire o imóvel de um beneficiário, fica livre dos direitos de uma pessoa interessada na propriedade do falecido e não incorre em responsabilidade pessoal para com a propriedade ou para com qualquer pessoa interessada.

por último, há certos limites de tempo que barra o requerente se recuperando de um beneficiário, que é responsável para pagar o crédito, e o direito do herdeiro ou o herdeiro ou de um representante pessoal de agir em nome de um herdeiro ou o herdeiro, para recuperar a propriedade de um beneficiário ou o seu valor a partir de um beneficiário (Ver CRS §15-15-411).por último, os juros do beneficiário estão sujeitos a qualquer crédito do Ministério da Política de cuidados de Saúde e ao financiamento da recuperação dos pagamentos de assistência médica nos termos da secção 25.5-4-301 ou 25.5-4-302, C. R. S., que será aplicada de acordo com a secção 15-15-103 CRS.o proprietário pode revogar a escritura beneficiária a qualquer momento?um proprietário pode revogar um ato beneficiário executando um instrumento que (1) descreve a propriedade real afetada, (2) revoga o ato, e (3) é registrado antes da morte do proprietário no escritório do funcionário e gravador no condado onde a propriedade real está localizada.

A junção, assinatura, consentimento, acordo ou aviso ao beneficiário não é necessária para que a revogação seja eficaz. A revogação pode ser substancialmente definida no src §15-15-405.como é que um acto beneficiário afecta um interesse imobiliário detido em arrendamento conjunto?qualquer um ou mais proprietários em arrendamento conjunto podem executar e registar uma escritura de beneficiário.mas o registo de uma escritura de beneficiário não separará um arrendamento conjunto.título dos juros do beneficiário designado apenas se o co-locatário for o último a morrer de todos os co-locatários de tal interesse.se um arrendatário comum não for o último arrendatário comum a morrer, a escritura do beneficiário não é efectiva e a escritura do beneficiário não fará do beneficiário um proprietário em arrendamento conjunto com o arrendatário ou inquilino comum sobrevivente.a entidade concedente tem de aceitar os juros de propriedade real consignados numa escritura de beneficiário?não. Um beneficiário pode recusar aceitar a totalidade ou parte dos juros de propriedade real descritos num acto do beneficiário.a entidade concedente pode renunciar à totalidade ou a parte dos juros de propriedade real descritos em um ato beneficiário por qualquer método previsto na lei.se uma entidade concedente recusar aceitar ou renunciar a qualquer interesse imobiliário, a entidade concedente não terá qualquer responsabilidade por ter sido designada como entidade concedente.

Ressalva – Medicaid de elegibilidade, exclusão

Nenhuma pessoa que é requerente ou beneficiário da assistência médica para o que seria admissível para o Departamento de Política de Cuidados de Saúde e o Financiamento de fazer uma reivindicação nos termos da seção 25.5-4-301 ou 25.5-4-302, C. R. S., terá direito a essa assistência médica, se a pessoa tem em vigor um beneficiário da ação. Não obstante as disposições da secção 15-15-402(1), a execução de um beneficiário da ação pelo requerente ou beneficiário de assistência médica, conforme descrito nesta seção deve fazer com que a propriedade seja considerada uma contável de recursos em conformidade com a secção 25.5-4-302(6), C. R. S. e regras aplicáveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.